Somatização: sintomas físicos, causas emocionais

Young woman rubs the temple area of her head as she winces her face in pain from a migraine headache.

Atualmente, acredita-se em uma predisposição geral ao desenvolvimento de sintomas físicos, devido a transtornos psicológicos. Essa predisposição pode explicar a manifestação dos transtornos de sintomas somáticos (denominação utilizada pela Associação Psiquiátrica Americana e também nas publicações científicas).

Os principais “sintomas” de quadros “psicossomáticos” são:

1) Transtorno de Sintomas Somáticos: apresenta diversos sintomas físicos (dor ou fadiga), que causam grande desconforto e prejudicam a realização das tarefas diárias. O diagnóstico é conferido quando os sintomas duram pelo menos seis meses e não tem causa clínica. Porém há casos em que os sintomas somáticos ocorrem juntamente com alguma doença clínica comprovada. Ex: o caso de uma pessoa que sofreu um infarto mas apresenta, ao mesmo tempo, sintomas de dor sem explicação física.

2) Transtornos de Conversão: o indivíduo tem sintomas neurológicos (fraqueza, paralisias, movimentos anormais) que não correspondem aos padrões do funcionamento do sistema nervoso.

A causa destes transtornos ainda não é conhecida, ou embasada cientificamente. No entanto, acredita-se que situações como maior sensibilidade a dor, exposição a traumas (agressões físicas, privação de necessidades), assim como aspectos culturais podem contribuir para uma predisposição aos sintomas somáticos.

Tratamento

Não há evidências suficientes sobre a eficácia de antidepressivos, antipsicóticos e remédios naturais – o que não significa que não sejam úteis. Mas, de modo geral, ainda não se justifica seu uso.

As psicoterapias, no entanto, parecem melhorar os sintomas. Os tratamentos psicológicos podem envolver a terapia cognitivo-comportamental (TCC), na qual se procura identificar fatores externos e internos (pensamentos, emoções) relacionados aos sintomas apresentados pelo paciente.

Fonte: Minha Vida