Passiflora é calmante e pode prevenir a depressão

fruit de la passion, passiflore, passiflora edulis, maracuja

A passiflora que é mais conhecida por seu fruto, o maracujá, tem cerca de 500 espécies de plantas. No Brasil podem ser encontradas muitas espécies de passiflora, porém apenas duas espécies são exploradas, e 90% da produção é realizada com a espécie do maracujá-amarelo.

A passiflora contém flavonoides com ação antibacteriana, antiviral, anti-inflamatória, antialérgica e vasodilatadora. A passiflora também tem efeito antioxidante e calmante. É auxiliar no tratamento de hipertensão.

Benefícios da passiflora em estudo

Efeito calmante: a passiflora trabalha junto a hormônios que favorecem o relaxamento e a sensação de bem-estar, por isso é interessante para ser utilizada em tratamentos de insônia.

Previne depressão: a sensação de bem-estar que a passiflora proporciona e suas substâncias como os calcaloides e flavonoides atuam de maneira antidepressiva no corpo.

Auxilia a concentração: efeito é decorrente da maior sensação de bem-estar e relaxamento.

Combate infecções: com ação antibacteriana, auxilia no combate às infecções.

Contra Parkinson: os estudos ainda não detalharam esse campo de ação, mas acredita-se que o benefício esteja ligado à presença de substâncias como alcaloides harmina e harmalina na passiflora.

Controle da pressão arterial: a harmala, substância presente na passiflora, está ligada à redução dos níveis de circulação e respiração e redução da pressão da pressão arterial.

Para consumir a passiflora deve-se utilizar as flores, folhas e caules. É possível encontra-la em forma de chá e cápsulas. No entanto, a quantidade deve ser prescrita por um nutricionista.

O chá pode ser consumido 3 vezes ao dia, mas não deve ultrapassar a quantidade recomendada pelo nutricionista, pois o excesso da ingestão da planta pode causar efeitos indesejáveis como excesso de sono e ação anticoagulante, náuseas, vômitos, dor de cabeça e taquicardia. Geralmente, a passiflora é indicada para pessoas que estejam estressadas, ansiosas ou que estejam enfrentando quadros de insônia.

A passiflora também não deve ser consumida por grávidas, pois aumentam a contração uterina, nem por crianças ou pessoas alérgicas a algum componente da planta. Também não é indicado o consumo por pessoas que usem medicamentos sedativos, hipnóticos ou anti-histamínicos.

Fonte:  Minha Vida