Mel

Honey, chamomile and pollen on a brown background

O mel, obtido através do néctar das flores e das excreções das abelhas, é um excelente adoçante natural, repleto de benefícios para a saúde. O mel tem ação antimicrobiana, combate micro-organismos protegendo contra doenças. O produto também tem ação antioxidante e prebiótica que ajuda no funcionamento do trato intestinal. Além disso, é rico em carboidratos e açúcar garantindo energia.

O mel contém ainda:

  • Potássio: predominante no mel, contribui para o equilíbrio da pressão arterial.
  • Magnésio
  • Sódio
  • Fósforo
  • Cálcio
  • Manganês
  • Ferro
  • Cobre
  • Cobalto
  • Ácido glucônico

Os tipos de mel

Há vários tipos de mel de acordo com o tipo de flor da qual a abelha coleta o néctar. Veja os principais tipos de mel consumidos no Brasil:

Mel silvestre: é produzido a partir de várias flores. Beneficia a pele e as vias respiratórias, além de ter propriedades antioxidantes e calmantes.

Mel de flor de eucalipto: tem a cor mais escura e o sabor mais acentuado. Auxilia no tratamento de infecções intestinais, de vias urinárias e de doenças respiratórias.

– Mel de assa-peixe: tem efeito calmante e expectorante.

Mel de flor de laranjeira: possui sabor suave, tem efeito calmante e regula a função intestinal.

– Mel de cipó-uva: ajuda a diminuir os efeitos do álcool, pois tem ação antioxidante, especialmente no fígado.

O mel faz bem para

Dor de garganta e problemas respiratórios: o mel é capaz de aliviar a dor de garganta momentaneamente devido à sua ação antimicrobiana. Atua também contra as bactérias que causam problemas como sinusites e tuberculose, mas ele atua apenas nos sintomas, não promovendo a cura a doença.

Intestino: Atua na manutenção da flora intestinal que proporciona um melhor trânsito intestinal, previne a diarreia e a constipação.

Pele: rico em antioxidantes (ácidos fenólicos, flavonoides e carotenoides), diminui os radicais livres prevenindo o envelhecimento precoce. Pode ser ingerido ou utilizado em forma de sabonetes e cremes.

Ação antioxidante: evita o envelhecimento celular, previne doenças cardiovasculares e Alzheimer, por exemplo.

Infecção urinária: devido à sua ação antibacteriana o mel diminui os riscos de infecção urinária.

Melhora o sono e ajuda a relaxar: como o mel contribui para maior produção de serotonina, especialmente a partir do intestino, proporciona mais disposição e sensação de prazer, com menos estresse.

O mel pode ser utilizado em bolos, iogurtes, sucos e chás, mas é recomendável que não se aqueça demais o mel (menos que 70 graus) para não perder suas propriedades.

O mel não deve ser consumido por crianças com menos de 1 ano de idade, pois pode causar problemas sérios como fotofobia, tonturas, boca seca, constipação, comprometimento do sistema nervoso (dificuldades para engolir, falar, se mover) e comprometimento dos músculos respiratórios. O mel também não deve ser consumido por diabéticos e deve ser restrito para grávidas.

Fonte: Minha Vida