Dia Mundial do Diabetes – 14/11

Vaccine

 

Diabetes é uma doença que tem como característica o aumento da glicose (açúcar) no sangue. A insulina promove a entrada da glicose nas células, por isso, se faltar insulina ou se houver um defeito na sua ação, a glicose vai se acumular no sangue (hiperglicemia).

 

Tipos de diabetes

Existem várias condições que favorecem a ocorrência do diabetes, mas são 2 os tipos mais comuns da doença: Diabetes Tipo 1 e Diabetes Tipo 2.

 

Diabetes Tipo 1

Nesse tipo da doença um erro no processo imunológico resulta em anticorpos, criados pelo próprio organismo, que atacam as células responsáveis pela produção da insulina. Acontece então a deficiência do hormônio. É comum em crianças e adultos jovens, mas pode acometer pessoas em qualquer idade.

 

Os sintomas são:

Sede, diurese e fome excessivas, emagrecimento, cansaço e fraqueza. O tratamento deve começar rapidamente, caso contrário, a pessoa pode ter uma desidratação severa, sonolência, vômitos, dificuldades respiratórias e até entrar em coma.

 

Diabetes Tipo 2

Corresponde a 90% dos casos. Nesse tipo de diabetes existe um defeito na ação da insulina (resistência insulínica). Então o organismo passa a produzir mais insulina para estabilizar a glicose em níveis normais. No entanto, quando isso não é mais possível, acontece o diabetes.

 

Os sintomas são:

Sede, aumento da diurese, dores nas pernas, alterações visuais e outros. Os sintomas podem demorar anos para aparecerem. Da mesma forma que o tipo 1, se não tratado a tempo, o quadro pode se complicar causando grave desidratação e coma.

 

Fatores de Risco:

O Diabetes tipo 2 está associado ao sobrepeso e obesidade e a uma vida sedentária.

 

Diabetes Gestacional

O Diabetes Gestacional pode ser transitório ou não, por isso, após a gestação a mulher precisa de acompanhamento médico.

 

Fatores de Risco:

  • A chance de ter Diabetes Gestacional é maior para mulheres que já tiveram a doença em gestações prévias
  • Perdas fetais anteriores
  • Má formação fetal anterior
  • Hipertensão arterial
  • Obesidade
  • História familiar de diabetes

 

 

Ao perceber qualquer sintoma é importante procurar o médico, pois um diagnóstico precoce previne complicações agudas e crônicas.

 

O tratamento preventivo inclui hábitos alimentares saudáveis e prática de atividade física, ou uso de medicamentos prescritos pelo médico em alguns casos.

 

Ao receber o diagnóstico do Diabetes é muito importante iniciar o tratamento e receber orientações sobre como proceder para ter um bom controle da doença e garantir a autonomia e a independência da pessoa.

O especialista poderá esclarecer sobre:

 

  • Orientação nutricional adequada
  • Como evitar complicações
  • Como usar insulina ou outros medicamentos
  • Como usar os aparelhos par medir a glicose (glicosímetros) e as canetas de insulina
  • Orientações sobre atividade física
  • Orientações de como proceder em situações de hipo e de hiperglicemia.

 

Vale ressaltar que as mudanças na rotina do paciente requerem adaptação de todo o núcleo familiar.

 

Fonte: Endocrino