Dengue: Saiba mais sobre a doença e confira dicas para o combate.

Mosquito sucking blood

A dengue é uma doença causada por um vírus que é transmitido pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti. O mosquito tem hábitos diurnos, se desenvolve em áreas tropicais e subtropicais, e se multiplica em água parada. Existem quatro tipos diferentes de dengue: os sorotipos 1, 2, 3 e 4. Cada pessoa pode ter os quatro tipos da doença, pois, a pessoa fica imune ao tipo de dengue que já contraiu, a imunidade aos outros tipos é parcial e temporária. A segunda vez que uma pessoa tem dengue pode ser mais grave que a primeira.

Sintomas:

Os primeiros sintomas da dengue clássica são: febre alta de início repentino (39°C a 40°C), forte dor de cabeça, perda do paladar e apetite, náuseas e vômitos, prostração, tonturas, dores musculares, dores nas juntas e atrás dos olhos, dor abdominal (principalmente em crianças), vermelhidão no corpo e coceira. Os sintomas podem durar entre 5 e 7 dias.

A dengue hemorrágica tem as mesmas manifestações iniciais da forma clássica. Porém, quando a febre começa a ceder, depois do terceiro ou quarto dia, surge a hemorragia, como sangramento nasal, gengival, vaginal, rompimento dos vasos superficiais da pele. Acompanha outros sintomas como pele pálida, fria e úmida, comportamento que varia entre a sonolência e a agitação, confusão mental, sede excessiva, dificuldade de respirar e queda da pressão arterial. Em casos mais raros, podem ocorrer sangramentos no aparelho digestivo e nas vias urinárias. Além disso, o quadro de dengue pode evoluir para a síndrome do choque de dengue que pode ser percebida pela queda da pressão arterial, pulso rápido e fraco, inquietação e perda de consciência. A síndrome do choque da dengue, se não tratada, pode levar à morte em 24 horas.

É importante procurar atendimento médico quando forem notados sintomas.

Diagnóstico:

O diagnóstico é feito por meio de exames de sangue (testes sorológicos). Exames físicos também podem ser feitos em caso de suspeita de dengue. A prova do laço é indicada porque avalia a fragilidade capilar e pode refletir a queda do número de plaquetas.

Tratamento:

O tratamento é feito sobre os sintomas da dengue, pois, não existe tratamento específico para a doença. O tratamento é feito com hidratação via oral ou endovenosa, antitérmicos e analgésico. Alguns medicamentos devem ser evitados por aumentarem o risco de sangramentos, como medicamentos à base de ácido acetilsalicílico.

Combate à dengue:

Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 70 % dos casos de dengue ocorrem entre janeiro e maio. No entanto, podem haver registros também em meses mais secos.

Atitudes simples podem evitar problemas com a dengue. O uso de repelentes pode proteger contra a picada do mosquito, mas, é importante sempre fazer inspeções em casa para eliminar os criadouros do mosquito transmissor. O morador deve verificar se há focos de mosquito no bebedouro de animais, ralos de esgoto, jardins, ou qualquer outro ambiente que possa conter água parada. Confira 10 dicas práticas:

1 . Coloque telas em portas e janelas. Elas evitam a entrada de mosquitos nas casas.

2 . A caixa d’água deve estar sempre fechada. A limpeza deve ser feita a cada seis meses. Troque-a em caso de rachaduras.

3 . As calhas devem estar sempre limpas para evitar o acúmulo de água parada.

4 . Cuidado ao descartar o lixo diário. Por exemplo, garrafas e latinhas, que podem acumular água, devem ser separadas e amassadas para a reciclagem.

5 . Ar-condicionado e ventiladores dificultam o trabalho do mosquito na hora de localizar a vítima, mas, o ambiente resfriado não mata os insetos.

6 . Cisternas devem ser lavadas com água e sabão.

7 . Piscinas devem ser tratadas com cloro regularmente. Se não, deixe-as vazias ou cobertas com lona.

8 . Jogue fora aqueles pratinhos dos vasos de planta. Colocar areia não resolve o problema.

9 . Cuidado com pneus em desuso, o ideal é não acumular este tipo de objeto em casa.

10 . Feche o ralo de banheiros sem uso com sacos plásticos.

Fonte: Universo Jatobá